الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
segunda-feira, 6 de abril de 2020
 
 
 
Destaques

Ouald Souilam, líder e formador da Frene do polisário na época indica que o verdadeiro número total não ultrapassa 50 mil

A Recusa da Argélia e dos separatistas para alistar as populações dos acampamentos de Tindouf dificulta a missão dos Nações Unidas em nome do alto comissário para refugiados, Mr. Antônio Guterres, que esta efetuando uma visita no momento para a região, sublinhou o senhor. Ahmedou Ould Souilem, ex-gerente do "polisario."

 



  O senhor Ouald Soulaim, que voltou recentemente para a Patria, Marrocos, insistiu numa declaração junto à Agencia de Noticias do Magrebe arabe, terça feira, que Argélia e polisário exageraram o número das pessoas detidas nos campos de Tindouf, aclariando, neste contexto, que o polisário pretende 160 mil refugiádo enquanto o número não passa globalmente de 50 mil.

Acrescentando que a insistência da frente do polisário sobre este número imaginário foi por um motivo no presentimento do “Jacob” é o modo em arabe pretender o fato. Chamadno atenção neste âmbito das operações de comercialização que envolve a ajuda humanitária destinada aos regufiádos de Tindouf que vai sendo desviada da sua verdadeira função para ser vendida noutros  mercados nos países vizinhos.

Além disso ele indicou que a posição da Argélia manipula os números em vertude da realidade das pessaos detidas, frisando neste sentido ao dizer “ se algéria está dizendo a verdade e trata as coisas com honestidade neste dossiê porque então esconde o exato  número dessas pessoas,  impedindo que as organizações internacionais estabeleçam  contatos direito com eles?”

“ Se o Alto comissário responsável dos assuntos dos refugiádos oferece uma ajuda para 160 mil pessaos perguntando onde a diferença que corresponde a uma extra de 50 mil vai” chamando o Aulto Comissário junto aos refugiádos para trabalhar no sentido de desvendar a verdadeira face deste dossiê para que essa Comissária e as Organizações humanitárias possam tratar com honestidade o sofrimento das pessaos detidas e refugiádas nos campos de Tindoud” rebateu o senhor Ouald Soulaim.

Chamando ainda para que todas as organizações e a Comissária junto aos refugiádos possam se unirem para fazer pressão sobre Argélia e polisário para  permitir a contagem das pessaos nos campos de Tindouf e ter uma identidade para os refugiádos. Bem como ele alertou pela situação e condições lamentáveis nas quais vivem os refugiádos nos campos de Tindouf descrevendo que “ eles vivem em função dos outros aqueles que os ajudam como os europeus, no memento em que eles não precisam deles nem depender da esmola”
Observando que essas situações e condições inhumanas se alastram envolvendo os domínios da vida a saúde, educação e moradia.

Fonte: Map
Noticias sobre o sara ocidental/Corcas

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2020