الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
segunda-feira, 23 de maio de 2022
 
 
 
Actividades Internacionais

O universitario e actor associativo saraui , Lahcen Mahraoui, membro do Conselho real para os assuntos saraniano confirmou que as declarações anti-marroquinas feitas pelo primeiro ministro argelino, domingo passado na frente da cúpula da União Africana "revelam-se o estado do desespero e do repetetivo fracasso em relação ao dossiê do saara."



Mahraoui declarou junto à agência de noticias MAP que Argélia não foi capaz atingir seus objectivos no sentido de prejudicar a integridade territorial do Reino, apesar dos meios materiais  humanos mobilizados para esta finalidade desde mais de quarenta anos.

O acadêmica saraui salientou que este objectivo constitui uma prioridade para a diplomacia argelina, acrescentando que actualmente Argélia enfrenta uma séria crise de governação, agravada pelo declínio dos preços de gás.

Ele recorda, ao mesmo tempo, que "Marrocos sob a liderança de Sua Majestade o Rei Mohammed VI se posiciona cada vez mais como líder regional, com estabilidade e sucesso e sobre o qual  a comunidade internacional possa contar."

Com relação ao diferendo regional sobre o saara, Sr. Mahraoui informou  que o termo  "colonização do saara"; utilizado de forma instável e inapropriado, por sr Sallal na sua palava que não existe a não ser que na imaginação dos líderes de Argélia.

Acrescentando que o facto se refere  "a uma expressao inadequada porque a organização das Nações Unidas encarregada do dossiê e pelo qual se engaja  para chegar uma solução política definitiva justa, duradoura e aceitável pelas partes. Nunca utilizou esta expressão nem nas resoluções da sua Assembléia geral nem nos diferentes decisões do Conselho de Segurança.

O activista associativo, neste contexto, chamou o primeiro ministro argelino, através do Estado argelino para "colocar fim ao desperdicio da riqueza do povo argelino e concentrar-se sobre os verdadeiros desafios que ameaçam cada vez mais o desenvolvimento, a paz e a segurança da Argélia e o redor do Magrebe."

Ele criticou por outro lado, a União Africana interrogando ao dizer: " que credibilidade em que se disfruta num momento em que não se pode resolver  qualquer um dos problemas continental e num momento em que se continua a abrigar em suas fileiras um fantasmático estado não reconhecido pelas Nações Unidas".

- Notícias relativas ao Saara Ocidental / CORCAS

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2022