الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
segunda-feira, 23 de maio de 2022
 
 
 
Actividades Internacionais

Lahcen Mehraoui, pesquisador universitário e ativista associativo, membro do Conselho Real Consultivo para os Assuntos Saranianos, chama a comunidade internacional para obrigar o regime argelino a assumir sua responsabilidade no sentido de levantar sua mão sobre a questão do Sara marroquino e empenhar-se seriamente na resolução do diferendo territorial prolongado.

 

 



Sr Mehraoui acrescentou em uma entrevista a MAP, à margem de um simpósio internacional organizado na cidade francesa de Bordeaux 21 e 22 do mês corrente do maio sobre o tema de "segurança e desenvolvimento, caso do Saara marroquino", no qual ele participou com duas  apresentaçoes, a primeiro sobre " Conflito do Saara e estabilidade da região" e o segundo sobre "o desenvolvimento econômico e social das regiões do sul marroquino ": A comunidade internacional, que reconheceu a  credibilidade e seriedade da proposta marroquina prealista e que visa conceder um plano de autonomia às províncias do Sul no quadro da soberania marroquina, deve fazer a pressão sobre o regime argelino e sua liderança (Polisário) para se envolver em negociações sérias com base na proposta marroquina tendo em vista acabar definitivamente com esse diferendo dentro de uma lógica sem ganhador nem ganhado,  avançando no sentido da edificação da União do Magrebe Árabe, que permite o fortalecemento da região e o redor do Euro-Med contra as crescentes ameaças terroristas, e defender a estabilidade e segurança.

 Ele disse que o regime argelino que vemos agora tenta intervir para desempenhar um papel político na Líbia e no Mali de modo que ela possa se envolver de forma séria como exigia o Conselho de Segurança em todas as suas decisões" em relaçao aos países vizinhos " que possam ajudar para resolver este problema regional, mas ao contrário, de Argélia nao hesitou até utilizar o dinheiro e as riquezas do povo argelino no sentido de apoiar os separatistas através do suporte político e material à Frente Polisário, a qual ela criou em condições que todo mundo conhece e utilizando-a como um ferramenta flexível nas mãos para afectar Marrocos, contra sua unidade territorial.

 Dr. Mehraoui responsabilizou a argelino e a liderança da Frente polisario da continuação dessa disputa regional, sobre o Saara e sobre as implicações negativas ​​sobre a população de campos da LaHamada perto de Tindouf que sofrem e continuam sofrendo da opressão dessa liderança autoritária, corrupta e fracassada que comercializa seu sofrimento em detrimento de um grupo que se enriquece graças à ajuda internacional.

 O membro do Corcas acrescentou que os sarauís não têm mais esperança nesses campos, alertando sobre a visão embaçada, e o bloqueio do horizonte e a perda de esperança para encontrar uma solução a este problema a curto prazo ou a médio, aumentando a frustração desse povo e leva a juventude à deriva e envolver-se em crime transfronteiriço, tais como o terrorismo, o tráfico de vários tipos, os que representem um risco adicional para a paz, a segurança e a estabilidade na região do Magrebe e no redor Europeu e Africano.

Mehraoui explicou que Marrocos decidiu diante do impasse que conheceu este dossiê nao ficar paciente e esperar depois de quarenta anos de edificação e desenvolvimento, posiconar-se contra os desafios para tornar essa parte do saara estéril é difícil a viver em 1975, durante a sua recuperação do colonizado espanhol, foi investido a reconstruir tudo desde aquele tempo, a fim de superar a dureza do clima e da dificuldade da aréa e a vastidão do saara; além da escassez de recursos para tornar-se hoje uma terra susceptivel para viver, permitindo-a em nivel nacional ser o melhor em termos dos indicadores de desenvolvimento humano, para avançar no sendio da fixação dos pilares da democracia local que concede os poderes os mais amplos para a população no âmbito da aprovação do novo modelo de quadro de desenvolvimento regional investido pelo conselho econômico, social e ambiental.

 Sr. Mehraoui concluiu dizendo que essas  importantes aquisiçoes a espera para colocar um fim a este conflito com a implantaçao do plano de autonomia, considerado uma forma de auto-determinação que permitirá aos moradores da regiao gerir seus negocios políticos, econômicos, sociais e culturais por seus próprios no âmbito da soberania nacional e do respeito da integridade territorial do Reino, o Saara marroquino tornou-se pronta para desempenhar um papel central na cooperação Sul-Sul; considerado também como uma ponte que liga a Marrocos do fundo africano e isso terá repercussões positivos sobre o desenvolvimento e económica e comercial na região e para o resto dos países vizinhos.

Noticias sobre o saara ocidental/Corcas

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2022