الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
25 de maio de 2024
 
 
 
Discursos Reais

A Sua Majestade o Rei Mohammed VI, que Deus o assiste, dirigiu um discurso nesta noite de domingo, 06-11-2022,  ao seu povo pela ocasião do 47º aniversário da gloriosa Marcha Verde. Tal discurso sustenta uma abordagem de defesa da marroquinidade do saara, numa perspectiva integrada, combinada com a ação política e diplomática, rumo a um desenvolvimento econômico, social e humano na região.

 Eis a seguir o texto integral do Discurso Real:




“Louvado seja Deus, que a paz e a oração estejam sobre o Profeta, a sua família e seus companheiros.

 Caro Povo,

 Este ano celebramos o quadragésimo sétimo aniversário da Marcha Verde, numa altura em que o processo de consolidação do Saara marroquino entrou numa fase crucial.

 Neste tempo, este épico da gloriosa marcha verde permitiu a libertação da terra espoliada. Daqui pela frente, a caminhada que levamos permanentemente tem por objetivo assegurar ao cidadão marroquino as condições de uma vida digna, junto a estes territórios tão caros para a nação marroquina.

A nossa abordagem de defesa do Saara marroquino parte de uma visão integrada que combina a ação política e diplomática em prol da promoção do desenvolvimento socioeconômico e humano na região.

É precisamente neste quadro que se insere o Programa de Desenvolvimento das Províncias do Sul, pelo qual presidimos a assiantura em Laayoune, novembro de 2015 e Dakhla em fevereiro de 2016.

Caro povo,

Dotando de um orçamento de mais de 77 bilhões de dirhams, este programa de desenvolvimento integrado, projetado para iniciar com uma dinâmica econômica e social nesta região. Tal vocação visa a estimular, nestes territórios, a criação de emprego, garantir um clima propício ao investimento, e infra estruturas e equipamentos necessários.

Este projeto ambicioso responde exatamente às preocupações e expectativas da população das Províncias do Sul. Cuja responsabilidade é de supervisionar  esta realização dos projetos que compõem o processo do desenvolvimento das autarquias e conselhos eleitos.

Hoje, faz mais de sete anos , após o lançamento deste programa, realizando uma taxa de comprometimento próxima a 80% do orçamento alocado, coroados com resultados positivos.

De fato, a via expressa Tiznit-Dakhla tem sido já em fase de conclusão. A conexão da região à rede elétrica nacional encontra-se devidamente assegurada e suas redes de comunicações também vão beneficiar o plano de reforço e ampliação dos horizontes. Além disso, o projeto da estação de energia solar e eólica prevista no programa, sendo no caminho da conclusão.

Outros estudos e formalidades administrativas relativas ao grande porto de Dakhla Atlantique foram definidas, cujas obras de construção iniciaram-se em seguida.

Emquanto à componente económica, reputa-se ser como a principal catalisadora do desenvolvimento, um conjunto de projectos foram no âmbito do desenvolvimento e transformação dos produtos da pesca, cujos milhares de empregos foram criados e propostos aos habitantes da região.

Na agricultura, mais de seis mil hectares estabelecidos em Dakhla e Bojador, os quais beneficiam os jovens agricultores da região.

Além disso, a maioria dos projetos planejados nos setores de fosfato, de água e saneamento, apresentando taxas de implementação avançadas.

Em matéria social e cultural, muitas conquistas têm sido anotadas nas áreas de saúde, de educação e formação. No mesmo espírito, foram apoiadas as iniciativas de auto-emprego e promoção da língua e cultura Hassani, inscritos no seio da identidade nacional unificada.

Em correlação com este contexto de responsabilidade nacional, chamamos o sector privado a engajar com compromisso e elevar o nível de investimento produtivo nestas províncias em prol dos projectos de vocação social.

Por outro lado, saudamos a dinâmica de desenvolvimento nas nossas Províncias do Sul, explorando as novas possibilidades e novos horizontes, sobretudo nos setores dinâmicos da economia azul e energias renováveis.

Caro povo,

Ao longo da história, o Saara marroquino constituiu constantemente um elo entre Marrocos e sua profundidade africana a nível humano, cultural e económico.

Assim, o esforço de desenvolvimento que lideramos no Saara permite-nos consolidar este papel histórico de forma firme e duradoura, numa perspectiva decididamente virada ao futuro.

Tal orientação, fundamentalmente em sintonia com a própria natureza das relações privilegiadas, unindo o Marrocos com o resto dos países africanos, que carregamos em prol dos interesses comuns de nossos povos irmãos.

Neste contexto, com o Nosso Irmão, Sua Excelência Sr. Muhammadu Bouhari, Presidente da República Federal da Nigéria, tomando a iniciativa de lançar o projeto do Gasoduto Nigéria-Marrocos.

É com satisfação que se constata o andamento deste grande projeto, de acordo com o Acordo assinado em dezembro de 2016.

A este respeito, o Memorando de Entendimento, assinado recentemente em Rabat, com a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e, em Nouakchott com a Mauritânia e o Senegal, constitui um marco essencial no processo de realização deste projeto.

A assinatura deste memorando reflete o empenho dos países em questão, contribuir para a concretização deste projecto estratégico, cumprir a vontade política e assegurar o sucesso.

Dado o interesse e parceria com os Estados do Oeste do continente, o Gasoduto Nigéria-Marrocos representa para Nós mais do que um projeto bilateral entre dois países irmãos.

Espera-se que tal projeto torna-se mais amplamente estratégico e benéfico para toda a região da África Ocidental, cuja população ultrapassa, 440 milhões de habitantes.

De fato, além de Marrocos e Mauritânia, este gasoduto oferece aos quinze países da CEDEAO oportunidades e garantias em termos de segurança energética e desenvolvimento socioeconômico e industrial.

Destinado às gerações presentes e futuras, o projeto foi em prol da paz, da integração econômica do continente africano e seu desenvolvimento comum.

Dada a dimensão continental do Gasoduto Nigéria-Marrocos, tem sido visto como um projeto estruturante, promete ligar África e Europa.

Saudamos as instituições financeiras regionais e internacionais, exprimindo seus desejos de prestar assistência eficaz no sentido da implementação do projeto em questão.

Neste sentido, afirma-se o engajamento de Marrocos em actuar sempre, em concertação com os nossos irmãos da Nigéria e os parceiros, com total transparência e responsabilidade, para que este projecto seja implementado o mais rapidamente possível.

Assim, reafirma-se novamente o acolhimento de parceria frutífera em prol da realização deste grande projeto africano.

Caro povo,

A fidelidade ao espírito e juramento eterno da Marcha Verde exige que todos os marroquinos permaneçam mobilizados e vigilantes para defender a unidade nacional do seu país, promovendo o pleno desenvolvimento e apego à profundidade africana.

Trata-se de uma oportunidade para Nós prestar homenagem à memória imaculada do arquiteto da Marcha Verde, ao Nosso Venerável Pai, o falecido Sua Majestade o Rei Hassan II, que Deus esteja com a sua alma, bem como aos bravos mártires do país.

Dirigimos também a expressão da Nossa consideração às Nossas Forças Armadas Reais, à Segurança Nacional, à Gendarmaria Real, à Administração Territorial, às Forças Auxiliares e à Proteção Civil pela sua devoção e abnegação no sentido de defender, sob o Nosso comando, a integridade territorial do país, a sua segurança e estabilidade.

Wassalamou alaikoum warahmatoullahi wabarakatouh".

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2024