الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
sexta-feira, 26 de novembro de 2021
 
 
 
Discursos Reais

As conspirações dos inimigos de nossa integridade territorial não acrescentam aos marroquinos a não ser aumentar a fé e a determinação  em prol de defender a sua pátria e seus interesses supremos.

A Sua Majestade o Rei Mohammed VI dirigiu, nesta sexta-feira pela noite, um discurso real à nação por ocasião do 68º aniversário da revolução do Rei e povo.


Eis a seguir  o texto integral do discurso real:

“Louvado seja Deus, que as orações e saudações estejam sobre o nosso Mestre, Mensageiro de Deus,  sua família e companheiros.

Caro povo,

A Comemoração da revolução do rei e  povo constitui a melhor ocasião para evocar os valores do sacrifício e da lealdade, em prol da liberdade e da independência da nação.

Não é apenas um acontecimento histórico, mas sim uma revolução contínua, inspirando sucessivas gerações, com  mesmo espírito de patriotismo, em prol da pátria, das instituições e suas santidades.

Vendo também antes das próximas eleições,  uma nova fase de projetos e reformas, com base na implementação do modelo de desenvolvimento objeto da carta do Pacto Nacional para o Desenvolvimento.

Tais processos foram para realização das eleições legislativas, regionais e locais no mesmo dia.

O que confirma a profundidade da prática democrática e da maturidade do espírito político marroquino.

Caro Povo,

As eleições não são um fim em si mesmas, mas sim um meio para estabelecer instituições credíveis, servindo os interesses dos cidadãos e defendendo os assuntos da pátria.

Acreditando que o Estado torna-se forte graças às suas instituições, com a unidade e coesão das suas componentes nacionais. Isto é a arma para defender o país, em tempos de adversidades, de crises e ameaças.

Tal foi o que se confirma de forma tangível, face aos ataques deliberados contra o Marrocos, neste período recente, por  parte de alguns países e organizações hostis ao nosso país.

O Marrocos ficou alvo, uma vez um estado antigo, com mais de doze séculos, com longa história Amazigh; cujos assuntos   reinados do cidadão, e por mais de quatro séculos, com uma conexão de laços fortes entre o trono e povo.

O Marrocos continua também alvo, devido à sua segurança e estabilidade inestimáveis, à luz das mudanças que o mundo conhece.

Além disso, o Marrocos, louvado seja Deus, é conhecido pela sua indiscutível reputação e posição, bem como a sua ampla e forte rede de relações, gozando de confiança e credibilidade a nível regional e internacional.

Caro Povo,

O Marrocos, como qualquer outro país da União do Magrebe Árabe, assujeita-se ao ato deliberado de agressão.

Os inimigos da integridade territorial do Reino partem de posições prontas e transgressoras, contra o Marrocos ficar livre, forte e influente.

São alguns países, sobretudo europeus, que infelizmente se consideram parceiros tradicionais, preocupados pelos seus interesses econômicos,  mercados e centros de influência na região do Magrebe.

Sendo que alguns de seus dirigentes não compreenderam que o problema não é nos sistemas dos países do Magrebe, mas sim em seus sistemas,  vivendo no passado sem poder acompanhar os desenvolvimentos.

Os últimos meses revelaram que esses países conheceram uma grande fraqueza, sem respeito às instituições do estado, seus assuntos tradicionais e fundamentais.

É por isso que querem ser como eles, criando justificações infundadas e acusando nossas instituições nacionais de desrespeitar os direitos e liberdades,  manchando a sua reputação e tentando prejudicar  o seu prestígio e dignidade.

Não querem compreender que as regras de negociação mudaram, sendo que nossos países são capazes de administrar seus negócios e investir seus recursos, suas energias em benefício destes povos.

Assim, foram armados todos meios, legais e ilegais, utilizando papéis, os meios de influência  ,visando afetar o Marrocos com problemas e disputas contra alguns países.

Além disso existem relatos, ultrapassando todos os limites. Em vez de chamar para apoiar os esforços de Marrocos, num equilíbrio entre os países da região, fez recomendações para impedir o seu processo de desenvolvimento, alegando, e criando artifícios de desequilíbrio entre os países do Magrebe.

 Também planejando uma ampla campanha para distorcer a imagem das instituições de segurança,  influenciando a força e eficácia da manutenção da segurança e estabilidade do Marrocos. Face ao apoio e coordenação, proporcionado no nosso entorno regional e internacional, com o reconhecimento de vários países.

Conforme o dito, o prejudicial pode ser benéfico; as tramas dos inimigos da nossa integridade territorial só podem aumentar a fé e a determinação dos marroquinos, em continuar a defender a sua pátria e os seus interesses supremos.

Assim, afirma-se que vai continuar o caminho, ama quem ama e odeia quem o odeia, contra o aborrecimento dos inimigos e inveja dos odiadores.Existe aqueles que dizem que Marrocos assujeita a estes atentados, devido a sua orientação política e estratégica, bem como da forma como trata algumas questões diplomáticas, no mesmo tempo.

Isso não é correto. O Marrocos mudou realmente, mas não de forma que alguns querem; sem permitir que seus interesses mais elevados sejam afetados. Sendo ao mesmo tempo, defende suas relações fortes, construtivas e equilibradas, sobretudo com os países vizinhos.

Sendo a mesma lógica com que se rege nossa abordagem, e para com a nossa vizinha Espanha.

E de fato, tais relações passaram nestas fases com uma crise sem precedentes,  abalando fortemente a confiança mútua e suscitando muitas questões sobre o futuro.

Sendo que trabalha-se com o lado espanhol, com toda a calma, clareza e responsabilidade.

Além das constantes tradições sobre as quais se baseiam, compromete-se hoje sobre o fortalecimento da compreensão e entendimento comum sobre os interesses dos dois países vizinhos.

Acompanhando pessoalmente e diretamente o andamento do diálogo e do desenvolvimento das negociações.

Nosso objetivo não era apenas sair dessa crise, mas torná-la uma oportunidade para reconsiderar os fundamentos e determinantes que regem tais relações.

Espera-se, com toda a sinceridade e otimismo, continuar a trabalhar com o Governo espanhol, e com o seu Presidente, Sua Excelência o Senhor Pedro Sanchez,  inaugurando uma nova e inédita fase de relações entre os dois países, com base na confiança, transparência, respeito mútuo e respeito aos compromissos.

Tratando do mesmo compromisso, baseado nas relações de parceria e solidariedade, entre Marrocos e França, a exemplo do seu Presidente, Emmanuel Macron, mantendo sólidos laços de amizade e  mútuo apreço.

Caro povo,

Se a revolução do rei e do povo constituiu uma viragem histórica no caminho da liberdade e independência de Marrocos; sendo hoje, diante de uma nova etapa que exige compromisso, o espírito do verdadeiro patriotismo, face aos desafios internos e externos.

Aproveitando esta ocasião para que Deus terá a sua misericórdia das almas dos mártires da nação, liderados pelo herói da libertação, nosso santo avô, Sua Majestade o Rei Mohammed V, seu acompanhante da luta, nosso abençoado pai, Sua Majestade o Rei Hassan II, que Deus esteja misericordioso com suas almas.

Que a paz a misericórdia de Deus estejam com você


 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2021