الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
sábado, 11 de julho de 2020
 
 
 
Discursos Reais

Em alguns anos apenas, O Dakhla se tornou inequivocamente uma cidade de encontros e de diálogo, símbolo da África, objeto da sintonia com os padrões internacionais.

 Sua Majestade, o Rei Mohammed VI dirigiu uma mensagem aos participantes do 5º Fórum Crans Montana em Dakhla, aberto no sábado sob o tema "construir uma África poderosa e moderna ao serviço de sua juventude".



Segui o texto integral do discurso real lido pelo presidente da região de Dakhla-Oued Eddahab, o Sr. Khattat Ynja:

 

 "Louvado seja Deus.

Que a Paz e a saudação estejam sobre o Profeta, Sua Família e Seus Companheiros.

 

Excelências,

Senhoras e Senhores

 

Foi um honor de dirigir aos participantes desta 5ª edição do Fórum Crans Montana em Dakhla, o tema intitulado "construir uma África poderosa e moderna ao serviço da juventude"; que só pode chamar todos os atores, as institucionais e privados, além do nosso continente.

 

A nova edição, através a qual se deseja a todos o sucesso, sublinhando a ancoragem duradoura do fórum do Dakhla: desde 5 anos de fato, tornou-se um importante ponto de encontro, de reflexão, de pesquisa e de respostas concretas e inovadoras para desenvolvimento sócio-econômico sustentável.

 

Uma vez este fórum constitui um fórum, um centro que reúne os participantes de diversas origens e de todo o mundo; trata de um centro que acolhe palestrantes de alto nível, mobilizados em torno de temas relacionados com a África, eles irradiam todos os continentes, graças ao surgimento de ideias, de sinergias e oportunidades de cooperação.

 

Também é uma oportunidade para parabenizar todas as equipes envolvidas que visam tornar essa importante reunião um sucesso. Agradendo, em particular, o Presidente do Fórum Crans Montana, Sr. Jean-Paul Carteron, que, através de seu dinamismo, senso de iniciativa, soube como federar e convencer.

 

Em apenas alguns anos, Dakhla irradia inquestionavelmente como uma cidade de encontros, e uma encruzilhada de diálogo. A abundância de convívio e de hospitalidade desta bela cidade simboliza uma África, sintonizada com os padrões internacionais.

Excelências,

Senhoras e Senhores

 

É possível que o nosso continente seja o lugar de muitas promessas; o único de todas as esperanças. Ele é especialmente no centro do tabuleiro de xadrez mundial. Enfrentando os desafios da África e atuar diante dos problemas geoestratégicos internacionais e das mudanças em curso. O tempo da África chegou. Este século só pode ser, o século da África.

 

A principal razão para essa convicção é a forte vitalidade demográfica do continente: cuja população é a mais jovem.

 

A aceleração da transição demográfica nos pede o lançamento de grandes projetos de desenvolvimento, capazes de transformar a realidade do continente, especialmente nas áreas de educação, de saúde, de agricultura, de infra-estrutura, ou novamente de luta contra a pobreza.

 

Estes constituem os desafios que a África deve enfrentar para garantir sua emergência.

19 anos -  é hoje a idade mediana na África. Esta nova geração forma a África de amanhã, esta juventude contribuirá para a paz, a estabilidade e o desenvolvimento socioeconómico do continenMas nossa juventude precisa ser usada, treinada, capacitada e acima de tudo valorizada. Deve ser treinada para converter o potencial econômico atual na realidade de amanhã. O fracasso nesta área seria um desastre terrível para o continente e para outras regiões também.

A ida perigosa de uma parte de nossa juventude em busca de um futuro sob outros horizontes, não deve ser uma fatalidade, nem a figura de uma África em fracasso.

Nosso interesse comum é trabalhar para a implementação de respostas relevantes e adaptadas para que nossos jovens possam ver o futuro na África da África.

 

Excelências,

Senhoras e Senhores

 

O Reino do Marrocos está ciente de que a África tem muito a oferecer, todas as capacidades e as qualidades a evoluir, envolver com audácia e determinação, tendo em vista transformar em profundidade. O Continente avança, e sua emergéncia é uma realidade mensurável.

 

A África optou pela abertura recusando a lógica da predação e da exploração total de suas riquezas, preservando os valores de compartilhamento e solidariedade que caracterizam suas culturas milenares.

 

O compromisso de Marrocos com a África e a a favor de uma cooperação Sul-Sul, agindo não é pelo fruto de circunstâncias ou dos interesses restritos. Desde a nossa entronização, nunca deixámos de defender uma solidariedade activa, fraterna e mutuamente benéfica, porque consideramos que a África constitui o nosso Continente, o nosso dever, a nossa responsabilidade e a nossa sorte.

 

Em 2000, conseguimos acabar com todas as dívidas dos Países Menos Desenvolvidos do Continente  em relação ao Marrocos. Medidas de facilitação das importações desses países, as quais foram implementadas.

 

Eles resultaram em um aumento das exportações africanas para o mercado marroquino. Com essa ação, o Reino queria traduzir, de fato, sua responsabilidade e seu dever de inscrir a cooperação em uma lógica ganha-ganha.

 

Impulsionado por essa responsabilidade, o Marrocos optou pela abertura, solidariedade e pela mão estendida com todos os seus pares africanos; tal escolha visa a promover e apoiar a paz, a estabilidade e a segurança na África.

 

Estamos convencidos de que estas são as condições fundamentais para a elaboração e o sucesso de políticas econômicas e sociais que garantam aos povos africanos uma vida melhor e digna.

 

É em nome dessa mesma convicção que o Reino quer trabalhar, com seus irmãos africanos, e seus parceiros para tornar o continente uma terra do futuro. Este é o espírito da nossa ação, especialmente desde que o Marrocos se juntou à sua família institucional africana.

 

Cabe a nós colocar a África no caminho do progresso e da emancipação. Cabe a nós voltar a dá-la a força para ocupar o seu lugar de direito no cenário internacional.

 

Finalmente, cabe a nós fazer tudo o que pudermos para mobilizar os atores e as forças vitais que construirão essa comunidade de destino, permitindo a emergencia efetiva da África.

 

Excelências,

Senhoras e Senhores

 

Nosso época é atravessado por revoltas sem precedentes. A transição demográfica, a conversão ecológica, a revolução digital e a mobilidade são os principais setores impulsionadores dessas mudanças.

 

Devemos nos adaptar a essas novas realidades e mudar nossas políticas para o bem de nosso povo e do futuro de nossa juventude.

 

Este Fórum é um dos espaços de reflexão e intercâmbio que permite apreender, na atual conjuntura internacional, as linhas de força, os pontos de vigilância e os temas de debate.

 

Esperamos que as recomendações que serão retidas no final do seu encontro permitam identificar novas formas de cooperação e de sinergias inovadoras que orientarão os líderes políticos e os decisores económicos neste trabalho para África.

 

Mais uma vez, saudamos esta iniciativa e este compromisso constante e dando as boas vindas ao Reino de Marrocos, desejando a bem vinda para o Dakhla, e um pleno sucesso em seu trabalho ".

 

-Actualidade sobre a questão do Sara Ocidental / Corcas-

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2020