الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
quinta-feira, 13 de agosto de 2020
 
 
 
Discursos Reais

 Sua Majestade o Rei Mohammed VI, proferiu, sexta-feira, 20 de agosto 2010, um discurso à nação por ocasião do qüinquagésimo sétimo aniversário da revolução do Rei e do Povo.



A Sua Majestade o Rei Mohammed VI, que Deus o assiste, denunciou   a intransigência dos inimigos da integridade territorial do Reino dizendo que " isso não acrescenta nada a não ser reforçar a nossa determinação em continuar o desenvolvimento da democracia e progresso", salientando que os direitos de cidadania não podem ser concebidos ou exercidos, a não ser num âmbito do compromisso com o direito suprimo da pátria  na unidade e soberania A Sua Majestade o Rei Mohammed VI, que Deus o assiste, denunciou   a intransigência dos inimigos da integridade territorial do Reino dizendo que " isso não acrescenta nada a não ser reforçar a nossa determinação em continuar o desenvolvimento da democracia e progresso", salientando que os direitos de cidadania não podem ser concebidos ou exercidos, a não ser num âmbito do compromisso com o direito suprimo da pátria  na unidade e soberania, .

O rei disse no seu discurso real, sexta-feira retrasada, divulgado para o país coincidindo com o 57 aniversário da Revolução do Rei e do Povo,  que as ousadas iniciativas iniciadas, elas constituem uma mudança decisiva na história moderna, tratando da proposta de autonomia concedida para as províncias do sul do Reino, com vista a continuar com a luta em busca de preservar e proteger a soberania do Reino em todo o território nacional.

 Sua Majestade o Rei acrescentou  " de fato cada vez mais o apoio internacional se intensifica a favor dessa iniciativa arrojada, conhecida por sua seriedade internacionalista e credibilidade, diante dos nossos adversários e suas manobras desesperadas que tentam obstruí-la e atrapalhar a dinâmica promissora para uma solução definitiva do impasse e do nossos empenho a nível mundial e regional para cacabar com este conflito artificial".

O rei ressaltou ainda que " Onde fosse a intransigência dos inimigos da nossa integridade territorial, isso não só reforçará a nossa determinação em continuar o desenvolvimento da democracia e do desenvolvimento, mas consolida a total firmeza e determinação, aumentando a nossa  vigilância e mobilização, salientando que os direitos de cidadania não podem ser concebidos nem exercidos a não ser no âmbito do comprimento com o suprimo direito da Pátria na unidade e na soberania, ".

Por outro lado, a Sua Majestade o Rei acrescentou que a comemoração do épica da Revolução do Rei e do Povo glorioso, não pode " ser um evento heróico passageiro e terminado, mas como uma revolução continua. O que comemoramos desde a nossa entronizarão, dando-a  um espírito renovado e inspirado dos valores de orgulho nacional, e do sacrifício  e firmeza. para contribuir para a história moderna, condizente com a nossa longa história, e abrindo um futuro promissor para alcançar os melhores objetivos, através do lançamento de iniciativas ousadas. "

Além disso a Sua Majestade o Rei considerou que a luta pela restauração da independência, nunca foi uma questão de elite, mas sim foi uma batalha travada pelo povo inteiro, com a participação de gente das cidades, dos campos, das montanhas, do sara, contando com todas as faixas sociais homens, mulheres, jovens e velhos; sob a liderança do trono com sacrifício em prol da liberdade do país, e pelo símbolo e soberania nacional.

A Sua Majestade o Rei disse ainda que os marroquinos comemoram o aniversário da Revolução do Rei e do povo, o qual coincide com a comemoração do décimo dia do mês do Ramadã, um dia comemorável  lembra o falecido símbolo deste épico histórico, Sua Majestade o Rei Mohammed VI, que o Alam esteja em Paz

Eis a seguir o texto integral do discurso Real:

 "Louvado seja Deus tudo poderoso, que a paz de Deus esteja com seu Mensageiro, sua família e seus companheiros.

Meus súditos leais,

Coincide o nosso presente discurso   a ocasião do quinquagésimo sétimo aniversário da Revolução do Rei e do Povo, com o décimo dia do sagrado Ramadan, e com o ícone épico  e histórico representado por nosso vôo Sua Majestade o Rei Mohammed V, que a Paz de Deus esteja com sua alma.

Nestes dias sagradas do mês de jejum, de oração e prestes, oramos com toda a humildade, pela pura alma do seu imortal falecido herói, e seu companheiro de luta, meu reverenciado pai, Sua Majestade o Rei Hassan II, que suas almas estejam em paz, bem como os mártires da resistência e da libertação do justo, do povo marroquino como um todo.

A luta pela restauração da independência, nunca foi uma questão de elite, mas sim uma batalha travada pelo povo inteiro, nas cidades, nos campos, nas montanhas, no sara, envolvendo  todas as categorias e classes sociais, homens, mulheres, jovens e velhos, que, sob a liderança do trono, dedicaram com tanto sacrifício em prol da liberdade do país e do símbolo da soberania.

E quando nós comemoramos também este glorioso épico, não é por ser um ato heróico do passado, mas porque trata de uma revolução em perspectiva.

Por isso, desde sedo da nossa entronização, refletimos sobre isso  um novo espírito inspirando os valores de orgulho nacional e do sacrifício e com perseverança para criar a nossa moderna história, condizente com a nossa longa história, e abrindo o caminho diante de um promissor futuro para alcançar seus melhores objetivos, através do lançamento de ousadas iniciativas, envolvendo verdadeiras  mudanças da nossa história contemporânea.

Tem estado na vanguarda da nossa proposta  atribuir ao sara a nossa autonomia, podendo dar continuação a luta em curso para a preservação da soberania do Reino em todo o território nacional.

No entanto, o maior apoio internacional para essa ousada iniciativa mostrou a sua seriedade e credibilidade, diante dos nossos adversários e das manobras desesperadas que visam obstruí-la e atrapalhar a sua dinâmica, como solução promissora e final e  internacionalmente contra  este conflito artificial.

Qualquer que fosse o nível da intransigência dos inimigos da nossa integridade territorial, isso só reforçará a nossa determinação em continuar em prol do desenvolvimento da democracia e do progresso, com total firmeza, determinação, vigilância e mobilização, confirmando que os direitos de cidadania não podem ser concebidos ou exercidos a não ser num âmbito de um compromisso e respeito do sublimo   direito da pátria, da unidade e da soberania.

Caro povo,

No espírito do épico de vinte de Agosto, realizamos avanços significativos, e profundas reformas, que visam a consolidação de um moderno estado, Marrocos. Consolidando  a prossecução dos progressos alcançados por nosso país, no exercício da descentralização, procedemos ao lançamento das obras de regionalização avançada, em consonância com a boa governação dos territórios e do desenvolvimento integrado.

Neste contexto, o nosso acompanhamento envolve toda a nossa atenção e apreço, diante do trabalho do Comitê Consultivo da Regionalização, que conta com nossa alta confiança, do nosso apoio e esforço para a presidência e aos membros. Com dedicação e seriedade nas formulações das tarefas que lhes foram confiadas,  as quais exigem paciência e discernimento, para formulação de  uma  percepção geral do modelo  Marrocos – Marrocos, com vista  uma regionalização avançada,  decorrente  das características reais do nosso país.

Dada a importância das questões de unidade, da democracia e do desenvolvimento, envolvendo o futuro do Marrocos, a percepção geral desejada é um inicio para um longo e árduo caminho que necessita verdadeiro trabalho, com base em quatro níveis:

+ Primeiro: o seu amadurecimento é a sua definido, através de um vasto debate nacional, de modo construtivo, e mobilizando o trabalho de equipe e  forte  integração para seu sucesso.

+ II: Colocar um plano como um roteiro claro e fino, para  melhor ativação com passos incrementais, e  com meio de mecanismos institucionais qualificados e   desenvolvimento adequado  e eficaz.

+ Terceiro: Envolver o governo, em paralelo com o trabalho do Comitê, para a elaboração de uma Carta de não concentração, com base na transferência de competências e de recursos humanos e financeiros necessários para as regiões.  Sendo que não há regionalização  sob a centralização.

+ IV: A ativa contribuição dos partidos nacionais com seriedade  para a preparação e formulação de elites elegíveis e capazes para a boa gestão dos assuntos regionais.


Caro povo,

O principal objetivo da moderna  Regionalização  avançada é dar  um forte impulso ao nosso modelo do desenvolvimento e excelência institucional.

Então, não deixamos de obrar para pavimentar o caminho diante da opção estratégica do Marrocos com  regiões unidas, e que nos lideramos em termos de  obras, recursos humanos e desenvolvimento sustentável, bem como em relação aos planos sectoriais e nacionais ambiciosos, numa visão regional. O  que possibilita infra-estrutura essencial, e com base no nosso compromisso para envolver nosso país na era de uma economia verde.

É um salto qualitativo, sem precedentes na história do livre  desenvolvimento de nosso país, isso permitiu o reforço de abertura do Marrocos sobre o mundo externo, bem como sobre suas regiões, eliminando o isolamento das áreas remotas e  marginalizadas, colocando um termo final do conceito colonial do Marrocos  produtivo e não produtivo.

Como começamos também a fazer de tal forma que o Marrocos possa  utilizar de forma ótima o dom agraciado para Marrocos, um   potencial para a produção de energias renováveis e limpas. Isso é considerado como a porta de entrada para o feito histórico, e como uma realização de emancipação gradual diante da dependência energética que possibilita novos recursos para o desenvolvimento e criação de mais oportunidades de emprego para nossa juventude.

Continua a boa ativação deste  o progresso do desenvolvimento, humano e sustentável, dependendo da emancipação das forças da nossa juventude e profissionalização das gerações presentes e emergentes para carregar a tocha permanente da revolução do Rei e do Povo, isso com orgulho da identidade autentica, e com estreita coordenação entre o trono e o povo, numa série de mobilizações e diligências, envolvendo o árduo trabalho da solidariedade social, repleto de harmonia.

Estes são os valores inspirados do sopro da espiritualidade do sagrado Ramadã, pelo qual eu peço a Deus Todo-Poderoso para que seja  um mês de benções e louvores, para  os nossos cidadãos dentro e fora do Marrocos e para toda a nação islâmica, como um todo.

Que a paz e a misericórdia de Deus e as bênçãos estejam com você. "

Fonte: Map
Noticias para o sara ocidental\Corcas

 

 

 

 

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2020