الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
quinta-feira, 3 de dezembro de 2020
 
 
 
Destaques

O Chefe do Governo marroquino, Saad Eddine El Othmani confirmou, quinta-feira, a Rabat que o Marrocos interferiu na travessia de Al Guerguerat em prol da paz, abrindo uma via internacional, permitindo a liberdade de movimentação de pessoas, de bens e serviços, em harmonia com o direito internacional, as necessidades da região e de acordo com o processo de cessar-fogo, cuja decisão do reino desencadeou uma mudança estratégica.


O Ministro da Educação Nacional, da Formação Profissional, do Ensino Superior e Pesquisa Científica, porta-voz oficial do governo, Al-Saeed Amzazi declarou num comunicado lido durante uma entrevista à imprensa após a reunião de gabinete, que Othmani na abertura desta reunião referindo-se ao fato de que esta semana cheia de boas noticias, começando com a Travessia de Al Guerguerat, poucos dias antes da celebração do Dia da Independência.

Sr Al-Othmani também saudou a decisão de Sua Majestade o Rei, que Deus o assiste, resolver a situação da travessia de Al Guergarat, contra os desafios das milícias separatistas, tratando de um processo, que  o chefe do governo considerou que as forces armadas reais levaram  a cabo com um alto profissionalismo,  intervindo no sentido para organizar a situação, após as muitas tentativas de Marrocos, através da diplomacia marroquina; além de sucessivos contactos com o Secretário-Geral das Nações Unidas, das forças da MINURSO, de vários Estados membros do Conselho de Segurança, entre com outros países, a fim resolver esta questão  e colocar as coisas no seu devido lugar.

O Sr. Amzazi acrescentou que o chefe do governo indicou que "o fechamento da passagem de Guerguerat foi objeto de uma resolução do Conselho de Segurança, na qual ele exige das milícias separatistas retirar-se da zona, as quais tinham se retirado na época ; cujo Secretário-Geral das Nações Unidas tem expressado a sua preocupação  das violações nesta zona tampão,  uma vez o Marrocos, voluntariamente, mantem o respeito do cessar-fogo, deixando a zona totalmente desmilitarizada.

”No entanto, a frente separatista, de acordo com o governo Al othmani, tem violado o cessar-fogo continuamente e durante anos.

Além disso, esta violação, acrescentou o governo marroauino, foi objecto de mensagens reais dirigidas ao Secretário-Geral das Nações Unidas, alertando sobre estas violações, sabendo que Marrocos tem capacidade para resolver a batalha no terreno, mas ele respeita o cessar-fogo e suas obrigações internacionais, esperando que o problema esteja resolvido pelas Nações Unidas e de seu secretário geral.

Conforme esta fonte de informação, o Chefe do Governo  lamenta que o recente bloqueio da travessia de Guerguerat, estendido por mais de 3 semanas, sendo uma travessia não apenas reservada aos marroquinos e a Mauritânia, mas sim ao comércio internacional, incluindo o comércio de países europeus com muitos países africanos.

Al-Othmani considera a travessia de Guerguerat como "uma artéria internacional e não é apenas nacional marroquina, cuja Sua Majestade o Rei, que Deus o assiste, tomou uma decisão definitiva no momento oportuno, acabando com a batalha sem a intervenção das Forças Armadas Reais nem contato com os elementos da milícia separatista, estabelecendo no local um cinturão de segurança", Isso finalmente resolveu a questão ”, considerando a recente decisão de Marrocos sobre a travessia de Guerguerat uma mudança estratégica, impedindo os separatistas contra o Marrocos, seus interesses e o processo de resolução, nas reuniões do Conselho de Segurança e na sua decisão anual.

Ressaltando que esta transformação finalmente resolveu a questão, esperando que os elementos separatistas e milícias não voltem para bloqueiar esta estrada, já que Marrocos interveio no interesse da paz ,  preservando a volta normal do trafico internacional, em prol da liberdade de movimento, de comércio de bens e serviços, em harmonia com as leis internacionais, com as necessidades da região e com respeito ao acordo de cessar-fogo. 

O Sr. Othmani agradeceu aos irmãos e países africanos e árabes, bem como às organizações islâmicas e árabes que apoiaram em termos claros a atitude marroquina, saudando o Reino e  sua postura.

O Sr. Amzazi acrescentou que o Chefe do Governo declarou que o Marrocos está agora diante de uma segunda fase, na qual a batalha de rumores maliciosos da frente separatista  tenta travar os processos politicos,  depois que seus elementos derrotados no terreno e no nível da legitimidade internacional, e da  lógica da paz mundial.  Não falta a Polisario agora que usar as manobras, contra as forças armadas reais, e  mudar as regras no terreno ”, desinformando a mídia nacional“, expondo mentiras,  imagens e vídeos de separatistas, divulgando  seus meios de comunicação par aqueles que os apóiam e evidências enganosas, por meio de outras zonas de tensão ao redor do mundo. Tratando ainda de atos externos da zona, respostas inaceitáveis e ilógicas as que promovem notícias falsas e propagnda racial contro o mundo.

Anotando que face à esta confusão dos separatistas, o reino tem realmente triunfado, graças à sabedoria e orientação de Sua Majestade o Rei, levando a uma nova situação no terreno,  horizonte estratégico, na qual o Marrocos, sob a liderança de Sua Majestade, continue a defender o seu direito, com base na na declaração de Sua Majestade o Rei, que Deus o assiste ; ao sublinhar dizendo : Marrocos está no Saara e o Saara está no Magrebe até que Deus herde a terra e os que habitam. ”É uma palavra“ firme, indicativa da profunda crença do Marrocos no seu direito e na sua causa defendida, por de um rei sábio e um povo sempre apegado às suas causas nacionais e territorial ”.

A este respeito, o Chefe do Governo saudou o povo marroquino e de todo o mundo que se levantaram para defender a sua pátria e os seus símbolos e resistiram às manobras das milícias adversárias, e são eles que vivem nas suas veias patrióticas e amam e defendem a pátria. Com tudo que pode, e a capital do Marrocos, os marroquinos acreditam no seu país, o amam e defendem, por isso ele permaneceu e continuará a ser vitorioso em sua causa sob a sábia liderança de Sua Majestade o Rei Mohammed VI, que Deus o proteja.

Por outro lado, o Chefe do Governo lembrou da celebração de todos os marroquinos, quarta-feira, do dia nacional, coincidindo com o dia 18 de novembro, festa da independência, uma memória pelo qual se recorda o regresso do falecido Sua Majestade o Rei Mohammed V do exílio e a conquista da independência de Marrocos, todos estes títulos confirmam a vitória do povo marroquino, da vontade do rei e do povo continuar a coesão entre Alawite Glorioso e a nação marroquina ”.

Destacando finalmente que “a celebração do Dia da Independência tem um simbolismo especial, na memoria do povo ; encarnando  a vitória de Marrocos e abrindo as etapas de construção e desenvolvimento, mantidas durante a época de Sua Majestade o Rei Mohammed VI, que Deus o assiste”.

Noticias sobre o saara ocidental/Corcas

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2020