الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
sexta-feira, 7 de outubro de 2022
 
 
 
Imprensa Audiovisual

Depois do polisario ter criminalizado por diferentes acordos, decisões e legislações internacionais, veio desta vez do arte, referendo à música Hassani,  condenando o recrutamento das crianças, considerando isso um crime hediondo, dos algozes da frente polisario como um ritual familiar.


O vídeo-canção "Volte a casa", lançado sexta-feira passada, contando da história de uma criança recrutada pela Polisario em flagrante violação da Convenção Internacional dos Direitos da Criança e de outros convênios internacionais.

A música, co-escrita pelo músico e ativista do YouTube, Mohamed Ayouch, descendente da cidade de Asa, e o artista Mohamed Jabara, um dos nomes de referência do rock marroquino; co-autor da música “Let's Defy the Frontiers, ”Descrevendo a fuga de uma criança num uniforme militar, referindo-se a Aos e de seus companheiros detidos e forçados pela Polisario a pegar nas armas, nos campos de vergonha;  tendo abraçado a liberdade uma vez estar no seu país de origem.

O artista, Ayouch, respondendo a uma pergunta da Arab Maghreb News Agency sobre a mensagem desta obra, considerando que não só cria um quadro sombrio da situação dessas crianças, mas também fecha o caminho dos separatistas da Polisario, chamando através de “apelo” a libertar as crianças detidas por “criminosos de guerra”. “visando a regressar à sua pátria e viver livremente em paz, indicando ter preparadas outras duas canções; abordando temas semelhantes.

A música, cujo videoclipe tem sido dirigido por Youssef Al-Kumili, ganhou grande popularidade uma vez que   veiculam na Internet; 5 de fevereiro,  agora 66 mil vezes apenas no YouTube, enquanto o número de cliques do botão "curtir" ultrapassou 10.000.

E o Sr. Al-Kumili do sul do Reino revelou que o campo da Polisario tem sido apenas poupado das manobras ilegais,  durante vários anos  desvia ajudas para fins de promover mentiras e falácias em prol da defesa da uma "causa" imaginária.

Eessaltando que o assunto relacionado a "uma gangue de criminosos que recruta crianças, estuprando mulheres, cometendo atos de bandidos, sem pestanejar contas, pretendendo ser artistas das criaças".

Tal grupo semeia no coração a separação da criança da família e dos parentes, por muitos que continuam  detidos nos campos de Tindouf,  o que hoje deflagra tais manobras " dos separatistas da Polisario".

Explicando que a música, filmada em Assa-Zak e Al-Mahbas, tem como objetivo fazer soar o alarme sobre essas violações por meio da música,  sensibilizando a comunidade internacional sobre  essas ações.

Para tanto, o artista Jabara chama a comunicado semelhante, através da letra da música, formulada no dialeto hassani e na língua espanhola "para levar adiante bem a mensagem".

“Esperamos que essas crianças privadas de educação, saúde e futuro sejam liberadas para ingressar no Marrocos, sua pátria-mãe”, acrescentou.

De acordo com a UNICEF, as crianças têm maior probabilidade de serem recrutadas se forem separadas de suas famílias, deixando as suas casas, nas zonas de combate ou recebendo um mínimo de educação.

Anotando que o Protocolo Facultativo da Convenção sobre os Direitos da Criança; da Exploração de Crianças em Conflitos Armados entrou em vigor em 2002. Proibindo a participação de menores de 18 anos em conflitos, mínimo na idade de (15 anos) de acordo com o estipulado na Convenção dos Direitos da Criança e das Convenções de Genebra, 1949 e de seus Protocolos Adicionais 1977.

Tal legislação acima mencionada tem sido limitada, pela milícia Polisario e de seus seguidores  a serem processados perante o Tribunal Penal Internacional sob a acusação de cometer crimes contra a humanidade.
Notícias sobre o saara ocidental/Corcas

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2022