الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
15 de junho de 2024
 
 
 
Imprensa Escrita

A revista internacional "L'Essentiel des Relations Internationales" escreveu num dossier especial por ocasião da 35ª Cimeira Ordinária da União Africana, realizada sábado e domingo passado em Adis Abeba, que a região do Saara marroquino conhece "um boom econômico sem precedentes, sob o impulso diplomático internacional em favor da soberania marroquina,"  da iniciativa de autonomia, como base real e única para a resolução política desta disputa regional em torno do Saara marroquino.



A revista no artigo intitulado "O Saara: Dinâmica Regional e Internacional... Rumo a uma ``Solução definitiva do Conflito Regional de Longa Duração", considerou que "a região do Saara conhece um boom econômico sem precedentes, impulsado graças ao dinamismo diplomático internacional em favor da soberania marroquina sobre a região saharaui e a iniciativa de autonomia como única solução política".

 

Nesta edição, distribuída à margem da Cimeira da União Africana sublinhou que "a declaração dos EUA, 10 de dezembro de 2020, consequência da abertura de 23 consulados gerais, decorrentes de todos os continentes, encarnando tal dinâmica internacional", a qual é " impulsada no processo político sob o patrocínio exclusivo das Nações Unidas, capaz de alcançar uma solução definitiva para este conflito, possibilitando a estabilidade da região e seu entorno".

 

Tal revista escreveu também sobre o dinamismo do Saara marroquino a serviço do desenvolvimento sustentável e integral, lembrando que a região conheceu nos últimos anos “o desenvolvimento sustentável, introduzida, 6 de novembro de 2015 com o lançamento de um novo modelo de desenvolvimento, através de um orçamento de 85 bilhões de dirhams, ou seja cerca de 9 bilhões de dólares.” .

 

Tal relatório jornalístico incidiu sobre o enorme potencial da região do Saara marroquino a nível económico (indústria, pesca, agricultura, energias renováveis ​​e turismo), salientando sobre as reformas implementadas para reforçar o tecido económico local e promover o crescimento e desenvolvimento sustentável em benefício da população local.

 

Destacando  o que esta região saraniana marroquina oferece, “ ela goza de múltiplas oportunidades de investimento e comércio, um verdadeiro pólo social e económico com dimensões regionais, continentais e internacionais”, incluindo muitos projetos estruturais multissetoriais lançados na região, a exemplo do gigantesco porto atlântico, Dakhla, a rodovia Tiznit - Laayoune - Dakhla, além do projeto da Zona de Livre Comércio da África Ocidental e projetos de dessalinização da água do mar, sobretudo em Dakhla.

 

Veio também neste dossier especial que a região do Saara marroquino, acolhendo duas cidades para os profissões e competências, e um parque tecnológico, “envolvendo um capital humano qualificado capaz de apoiar o desenvolvimento industrial e criar ecossistemas inovadores de acordo com os padrões internacionais”.

 

Tal revista destacou, a nível energético, que diferentes projetos foram lançados para desenvolver energias renováveis ​​na região com forte potencial em termos de energia solar e eólica, mantendo usinas de produção de energia eólica em Tarfaya, Foum El Oued e Akfnir 1 e 2, cujo início das obras de duas usinas, Nour El-Ayoun 1 e Nour Boujdour 1, consolidou a posição de Marrocos como pólo regional e continental de energia limpa.

 

Tal impulso global permitiu que o Saara marroquino "se posicionasse como um destino preferencial para muitos atores econômicos estrangeiros".

 

Por outro lado, a revista esclareceu sobre o reconhecimento do Saara marroquino pelos Estados Unidos, cujo Washington tem adotado “um novo mapa do Marrocos incluindo o Saara, a ser utilizado por todas as administrações americanas”.

 

Salientando que "a missão permanente dos Estados Unidos junto das Nações Unidas tem distribuído aos membros do Conselho de Segurança, 193 Estados membros das Nações Unidas, a declaração presidencial reconhecendo o Saara marroquino nas seis línguas oficiais das Nações Unidas."

 

No fim, o campo econômico, segundo Washington tornou-se como um fator do desenvolvimento econômico e social da região, através dos investimentos americanos e financeiros objeto dos diferentes projetos em benefício da população local.

 

Notícias sobre o saara ocidental-Corcas

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2024