الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
domingo, 27 de setembro de 2020
 
 
 
Imprensa Escrita

Para os Estados Unidos, a independência não é uma opção para resolver a disputa em torno do Saara marroquino, anotou o cotidiano americano "The Wall Street Journal".

 Em um artigo publicado, Domingo, o famoso jornal americano relata que as autoridades norte-americanas que acompanham de perto as discussões em torno da questão do Saara disseram que os Estados Unidos "deixaram claro que Washington não apoiaria um plano para criar uma novo estado na África ".



A situação de segurança na região torna o conflito um assunto urgente a resolver, indicou o autor do artigo, Dion Nissenbaum, que também traça paralelos entre a posição da ONU em apoio à MINURSO e de alguns responsáveis da Casa Branca, que afixaram uma certa impaciência, argumentando da ausência de desenvolvimento no processo político.

 Mas o risco de qualquer tentativa de descarrilar o processo da ONU pode causar descontentamento e ameaçar a estabilidade em uma das regiões de estabilidade, diante de muitos lugares de tensão e de instabilidade no mundo atual.

 

"A Minurso dsiponha de 52 milhões de dólares para manter a estabilidade, controlar o cessar-fogo em uma região muito difícil", declarou o ministro de Relações Exteriores e Cooperação Internacional Nasser Bourita.

 Ninguém morreu desde o cessar-fogo, o que significa que é a missão de manutenção da paz, a mais importante do mundo", sublinhou o ministro ao cotidiano dos EUA.

 Neste artigo, "The Wall Street Journal" anotou além disso, a posição das autoridades ocidentais e marroquinas que afirmam que, em particular, os Estados Unidos apoiam o Marrocos em seus esforços para encontrar uma solução definitiva para este conflito que durou muito tempo, tendo como base uma solução de compromisso ,no quadro do plano de autonomia.

 

Além disso, esse apoio de Washington que pode incentivar o Marrocos a retornar à mesa de discussões e relançar a dinâmica das mesas redondas sob os auspícios da ONU na presença de Marrocos, da Argélia, da Mauritânia e Polisario.

 

Esta dinâmica é de natureza a avançar o dossiê, uma vez este avanço hoje desmotivado pela Argélia e da demissão do Enviado Pessoal do Secretário-Geral da ONU, Horst Köhler.

 

O "The Wall Street Journal", por outro lado, recorda os importantes esforços feitos pelo Marrocos para promover o desenvolvimento da região do Saara, através de investimentos consideráveis ​​em vários campos.

 Noticias sobre o saara ocidental-Corcas

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2020