الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
12 de junho de 2024
 
 
 
Dossiers

O presidente do Conselho Real Consultivo para os Assuntos Sarianos (CORCAS), o Sr Khalihenna Ould Errachid afirmou, no dia 3 de Maio a Paris, que a proposta de autonomia das províncias do Sul do Reino nesta ocasiào  diante de esta iniciativa "nào é uma operação nem uma táctica política para ganhar tempo", aquando de um encontro com os representantes das associações sahraouies na França.



A proposta de autonomia sob a soberania marroquina é "a única solução para regular de maneira definitiva o problema do Sara", sublinhou, notando que perante o impasse na qual encontrava-se este conflito artificial, esta proposta é um "projecto histórico e revolucionário e uma experiência inédita no mundo árabe e islâmico, e no continente africano".

Este projecto permitirá fazer participar todas as componente da sociedade marroquina na edificação do Marrocos moderno e democrático, prosseguiu, indicando que esta opção vai permitir igualmente as Nações Unidas resolver o conflito do Sara de acordo com todas as partes.

Recordando que o Sahraouis sempre foi Marroquino devido às relações de fidelidade que prestaram junto aos Almoravides, o Sr. Khalihenna Ould Errachid comunicou que esta proposta garante aos Sahraouis os seus direitos políticos, económicos, sociais e culturais.

"o projecto de autonomia das províncias do Sul não é nem o projecto do governo nem o também da administração, mas o projecto é do SM o Rei Mohammed VI", afirmou o presidente do CORCAS, acrescentando que ele é único vai no sentido do conjunto do povo marroquino de Tanger a Lagouira,

Tem mobilizado todas as partes da sociedade junto e sob as ardens do Soberano para ir no sentido de encontrar um regulamento definitivo à pergunta do Sara que prejudica o desenvolvimento de toda a região do Magrebe árabe e põe Estado-Membro em perigo em termos de desistabilidade e do desequilibrio.

A opção de autonomia sob a soberania marroquina "permitirá a todos os Sahraouis de sentir-se parte integrante do Marrocos, de gerir eles mesmos os seus negócios, de participar na marcha do seu país e contribuir para o regulamento definitivo deste dossiê do Sara", disse o Sr. Khalihenna Ould Errachid, sublinhando ainda que o CORCAS, como instituição està sendo unida directamente com SM o Rei Mohammed VI, para defender igualmente a integridade territorial e nacional.

Apreendeu igualmente nesta ocasião para destacar o papel a ser desempenhado os membros da comunidade marroquina estabelecidos no estrangeiro e mais particularmente os procedentes das províncias do Sul do Reino para consolidar a iniciativa e a nova política que està senda preconizada pelo Marrocos nas suas províncias do Sul, sob a condução iluminada da SM o Rei Mohammed VI.

"o Reino estica a mão ao todos os Sahraouis onde encontram-se." O Marrocos está a escuta de todas as componentes ", tem dito, indicando que a opção de autonomia traduzir-se-á numa descentralização muito alargada e uma participação política, económica, social e cultural na construção do Marrocos moderno.

" Evocando o contexto controverso de criação do movimento separatista, o Sr Khalihenna Ould Errachid tem observado que "cabe-nos hoje realizar a reconciliação com todas as partes e as componente da sociedade marroquina que se sentiram lesadas no momento em que outro pela administração marroquina".

A esse respeito, sublinhou a necessidade de fazer face as divergências e as confrontações do passado a fim de abrir uma nova página onde todos os sahraouis serão associados ao mesmo país. Teve igualmente a recordar que os líderes do movimento separatistas que são todos Marroquinos, prosseguiram os seus estudos primários, secundários e universitários a Marrocos e têm todos relações de parentesco no país. Citou, por exemplo, o pai do chefe séparatistes Mohamed Abdelaziz tem precisado é um  "membro activo no CORCAS".

Evocando as realizações realizadas em Marrocos, o Sr. Khalihenna Ould Errachid sublinhou que o Marrocos tornou-se um grande estaleiro de reformas em matéria de democracia, respeito dos direitos do Homem, alargamento do campo das liberdades individuais e colectivas ou no lugar que ocupa doravante a mulher na sociedade.

O Sr. Khalihenna Ould Errachid além disso felicitou-se que a primeira reunião fora do Reino dos membros do Conselho real consultivo para os negócios sarianos desenrola-se na França, "um país com o qual o Marrocos mantem excelentes  relações políticas, diplomáticas, económicas, sociais e culturais desde a independência do Reino".

Esta visita assinalou, inscreve-se No. âmbito da estratégia do CORCAS para fazer  face aos separatistas de modo a conhecer os seus objectivos e defender ás causas nacionais do Reino e mas particularmente  levar adiante a causa do Sara.

Os participantes a este encontro foram unânimes a cumprimentarem esta iniciativa do CORCAS que compromete a um diálogo e a um debate transparente e exaustivo sobre as missões e os objectivos desta instituição, bem como sobre a proposta de autonomia alargada que o Marrocos apresentará junto às Nações Unidas.

Pediram igualmente ao presidente do CORCAS que transmitissem a sua SM o Rei Mohammed VI suas expressoes de fidelidade e de lealismo, bem como a sua indestrutível ligação ao trono glorioso alaouita, exprimindo a sua disposição a  defender a integridade territorial e a unidade nacional do Reino.

Este encontro desenrolou-se na presença do Sr. Fathallah Sijilmassi, embaixador do Marrocos na França, o secretário geral do CORCAS, o Sr. Maouelainin Maouelainin Ben Khalihenna, e os membros a Sra. Kalthoum Khayti, Moulay Ahmed Mghizlat, o Sr. Breika Zerouali, o Sr. Aatman Aaila, o Sr. Abba Abdelaziz, o Sr. Chagaf Ali Salem, M.Echarif Moulay Hassana e o Sr. Moussaoui Sidi Khaddad, bem como dos presidentes e representantes das associações sahraouies na França.

Fonte: MAP

Actualidade relativa à questào do sara ocidental/Corcas

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2024