الـعـربية Español Français English Deutsch Русский Português Italiano
quinta-feira, 13 de agosto de 2020
 
 
 
Dossiers

A segunda roda de negociações sobre o Sara teve lugar nos dias 10 e 11 de Agosto à Manhasset, na região de Nova Iorque. O Marrocos que é confiante e optimista, mas lamenta a posição bloqueada de outra parte.



Os membros da delegação marroquina quando da segunda roda de negociações sobre o Sara, tidas nos dias 10 e 11 de Agosto à Manhasset, localizado no subúrbio de nova Yorke, declararam-ser optimistas e confiados no processo em curso, lamentando a posição bloqueada de outra parte.

Aquando dos dois dias de negociações na residência a Greentree, sob a égide da O.N.U, os debates levaram sobre pontos fundamentais que se inscrevem numa forte tensào e pelo mesmo objetivo a Iniciativa de autonomia, indicaram os membros da delegação marroquina, aquando de uma conferência de imprensa celebrada sábado pela noite a Nova Iorque.

"consideramos que a primeira roda foi um meio de contacto, o segundo como o da troca sobre os mecanismos de aplicação da resolução 1754 do Conselho de segurança e sobre as temáticas relativas à autonomia", sublinhado  o ministro do interior, o Sr. Chakib Benmoussa.

O Marrocos deu o seu acordo de princípio para participar num terceiro ciclo de negociações, tem dito, precisando que a data e o lugar deste encontro ainda não têm sido parados, o Reino na véspera de prazos dados pelo regime eleitoral que devem conduzir à formação de um novo governo.

"somos confiantes neste processo e esperamos que a próximo roda permitirá fazer evoluir a posição do Polisario, embora eles estejam ainda bloqueados", prosseguindo.

Quando do papel dos países vizinhos, o ministro considerou que tanto a Argélia como a Mauritânia "pode contribuir para encontrar uma solução definitiva à este problema".

"Consideramos que a presença dos países vizinhos à estas negociações é importante."

A Argélia é referida pelo diferendo, porque protege sobre o seu solo os campos de Tindouf, e conhecemos a influência que este país exerce sobre o Polisario.

A Mauritânia, por seu lado, conta um grande número de sahraouis, o que explica as suas relações com esta questào", disse o ministro."

Contudo lamentou que o Elevado Comissariado aos Refugiados (ACNUR) não pôde contar as populações dos campos que vivem em condições deploráveis.

Quanto ao presidente do Conselho real consultivo para os negócios sarianos (CORCAS), o Sr. Khalihenna Ould Errachid, recordou que o malogro de uma série de planos e tentativas para regular este problema conduziu ao impasse, razào pela qual as partes forma chamadas para formular novas propostas.

"o Marrocos assim tomou a iniciativa de apresentar um plano audacioso e inovador, onde não haverá nem vencedor nem vencido", indicou o Sr. Ould Errachid, lamentando o Polisario que ficou prisioneiro de uma visão passéiste baseado em projectos obsoletos e impraticáveis.

A outra parte não assimilou a carta e o espírito da resolução 1754 do Conselho de segurança, lamentou, recorrente à uma solução política fundada sobre a iniciativa marroquina.

Abundando no mesmo sentido, o ministro delegado aos Negócios estrangeiros e a Cooperação, o Sr. Taieb Fassi  Fihri, sublinhou que, na sua última resolução, o Conselho de segurança indicou claramente que a responsabilidade do regulamento desta questào incumbe em primeiro lugar às partes e aos países vizinhos, enquanto que o papel das Nações Unidas limita-se a facilitar as negociações.

A Iniciativa de autonomia proposta pelo Marrocos foi acolhida favoravelmente pela comunidade internacional que cumprimentou os esforços sérios e credíveis realizados pelo Reino, acrescentou.

Respondendo sobre o desenrolar das negociações, o Sr. Fassi Fihri explicou que paralelamente aos debates de fundo, os expertos da O.N.U apresentaram exposições relativas ao dossiê, pontos  essenciais que referem-se à autonomia no âmbito da integridade territorial como a gestão dos recursos naturais e a governança local.

Para esse efeito, a delegação marroquina recordou os esforços realizados, desde anos pelo Marrocos em defesa e em varios domínios e nas propostas contidas na sua Iniciativa, tem comunicado.

Além disso, indicou que este segundo arredondamento marcou uma evolução positiva em relação ao primeiro encontro, celebrado no dia 18 e 19 de Junho passado, emitindo o desejo de ver o Polisario rever as suas posições, em virtude do próximo ciclo de negociaçoes.

Por seu lado, o Director Geral dos Estudos e a Documentação, o Sr. Mohamed Yassine Mansouri, indicou que apesar das declarações tendenciosas à imprensa feitas por membros da delegação do Polisario ao longo de todos os dois dias de negociações, estas negociações foram positivas.

"para a delegação marroquina, este segundo encontro constituiu uma etapa importante e marcou uma evolução positiva, na medida em que permitiu examinar e de debater os pontos fundamentais que se inscrevem no fundo mesmo da iniciativa", explicou o Sr. Mansouri.

E ao sublinhar: "o Marrocos é determinado a ir em frente com paciência e com  a mão tendida, porque queremos que esta iniciativa de autonomia conduza".

Desterro Ki-Moon:

O segundo ciclo de negociações sobre o Sara permitiu " boa discussão de fundo"

O Secretário geral das Nações Unidas, o Sr. Desterro Ki-moon, indicou terça-feira que o segundo arredondamento das negociações sobre o Sara foi a ocasião para as partes de efectuar  "boas discussões de fundo".

"embora não tenha progressos visíveis durante estas negociações, ambas as partes tiveram boas discussões de fundo durante os dois dias" durante o encontro na Sexta-feira e sábado o último dia a Manhasset, declarou o Sr. Desterro Ki-moon aquando de um ponto de imprensa na sede da O.N.U a Nova Iorque.

E tem acrescentado ainda: "é importante, na presente fase, é que as partes puseram-se de acordo com os fatos para continuar a dialogar".

"continuaremos a incentivar as partes referidas a prosseguir o diálogo e incitar para envolver no nucleo do assunto pelo apoio do  Enviado Pessoal da ONU que vai continuar a desempenhar o seu papel com facilitador", afirmou.

Delegações do Marrocos, o Polisario, a Argélia e a Mauritânia tomaram a parte da segunda roda de negociações sobre o Sara, na presença do facilitador da O.N.U, o Sr. Van Waslum.

Washington considera que a autonomia é a via "prometedora e realista' ' para o Sara.

Os Estados Unidos julgaram que uma autonomia substancial para o Sara é "' uma via prometedora e realista '' e que a iniciativa marroquina forneceria um quadro realista para as negociações sobre a pergunta do Sara.

“ consideramos que uma autonomia substancial é uma via prometedora e realista e que a iniciativa marroquina forneceria via um quadro realista para negociações '', declarou segunda-feira o porta-voz do departamento de Estado, o Sr. Sean McCormack.

Respondendo à uma pergunta do MAP sobre a segunda roda de negociações sobre o Sara, o porta-voz exprimiu a satisfação dos Estados Unidos que "' o Marrocos e o Polisario reuniram-se numa segunda vez pelos dias 10 e 11 de Agosto sob os auspícios das Nações Unidas para discutir da resolução do conflito do Sara Ocidental ''.

O Sr. McCormack também cumprimentou o acordo ocorrido para prosseguir as negociações.

"' compreende-se que ambas as partes convieram a prosseguir as negociações.

Cumprimentamos este desenvolvimento '', sublinhando os recorrentes para uma discussão global relativa a questào principal aquando do próximo cilco de negociações.

Fonte: Corcas

 

 

 Este site não será responsável pelo funcionamento e conteúdo de links externos !
  Copyright © CORCAS 2020